15 de janeiro de 2020, às 17:54

Inclusão Social economiza R$ 2,8 milhões em 2019 e capta R$ 10,6 milhões para 2020


Redução de custos administrativos possibilitou maior aplicação de recursos em ações finalísticas

Ao final de um ano dedicado ao aprimoramento da gestão, a Secretaria de Estado da Inclusão Social – SEIAS contabiliza uma economia total de R$ 2.825.362,00 em custeio administrativo para o Governo de Sergipe. O esforço de redução de despesas foi acompanhado de um esforço de captação de recursos que, só em emendas parlamentares estaduais e federais, chega a R$ 10,6 milhões para execução em 2020. Os recursos foram destinados por deputados e senadores sergipanos para a promoção de ações voltadas para a inclusão pelo direito e pela renda das populações-alvo da SEIAS, após a apresentação do portfólio de projetos da pasta.

De acordo com a secretária Lêda Couto, a intenção da gestão foi, desde o primeiro momento, organizar as contas e planejar a realização de projetos para 2020, que consigam chegar de maneira efetiva à população socialmente vulnerável de Sergipe. “Seguimos a determinação do governador Belivaldo Chagas e da vice-governadora Eliane Aquino no sentido de, neste primeiro ano de gestão – financeiramente tão difícil para o Estado -, nos empenharmos ao máximo na organização da ‘casa’ e no diagnóstico de potencialidades, para embasar o planejamento estratégico que se desdobrará em novos projetos a partir deste ano que se inicia”, explicou a gestora da pasta.

Para Eliane, a redução de custos administrativos é um caminho que possibilita se investir mais nas ações finalísticas, em benefício da população. “O cenário de crise em que o Brasil se encontra exige uma forte economia dos recursos públicos, mas, sobretudo, requer que tenhamos um olhar ainda mais humano. A quantidade de pessoas em situação de vulnerabilidade tem crescido muito em nosso país e cabe a nós, gestores, perseguirmos alternativas para que o Sistema Único da Assistência Social seja real para aqueles que mais precisam. Avançamos em 2019 e acredito que avançaremos ainda mais em 2020”, avaliou a vice-governadora.

O superintendente-geral da SEIAS, João Andrade, explica que a economia de cerca de R$ 2,8 milhões em 2019 foi conseguida a partir da atuação em duas frentes. “Conseguimos reduzir R$ 932.286,00 em despesas com pessoal, e mais R$ 1.893.076,00 em custeio administrativo [mão-de-obra terceirizada, locação de veículos, combustível, locação de imóveis, material de consumo, estagiários; telefonia fixa, móvel e dados; manutenção de veículos e equipamentos, energia elétrica e Correios]. Isso representa uma economia de 8,1% com pessoal e de 15,7% em custeio, em relação a 2018”, detalha João Andrade, que é ex-secretário de Estado da Fazenda e ex-presidente do Banese.

Captação de Recursos
O ano financeiramente difícil também demandou o esforço de estabelecimento de parcerias e elaboração de projetos para a captação de recursos. Além das emendas parlamentares, a SEIAS conquistou o resgate de recursos junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento Social – BNDES, que juntamente com recursos do FUNCEP, chegam a R$ 5 milhões para os Arranjos Produtivos Locais de Baixa Renda. Outros recursos importantes surgiram da parceria com o Ministério Público Estadual, que destinará cerca de R$ 45 mil para melhorias estruturais do Restaurante Popular Padre Pedro. Já a campanha ‘Destinar’ captou R$ 115.713,46 para o Fundo Estadual da Criança e do Adolescente (Fundecria).

Atualizado: