16 de fevereiro de 2021, às 12:59

Adolescentes socioeducandos do regime fechado recebem oportunidades de emprego


Projeto é realizado em parceria entre Fundação Renascer, Senac, MPE, MPT e empresa privada

Ingressaram no mercado de trabalho, 48 socioeducandos que cumprem medidas em regime fechado em unidades socioeducativas administradas pela Fundação Renascer. O Projeto Jovem Aprendiz, que representa uma chance de vida melhor com oportunidade de emprego para os adolescentes, se iniciou em outubro de 2020, por meio de parceria firmada entre a Fundação e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), o Ministério Público de Sergipe (MPE/SE), o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Empresa Novo Conceito N/C Vigilância.

Ao longo do curso, os socioeducandos tiveram 20 encontros com aulas presenciais e remotas em salas equipadas com computadores, e auxílio presencial de instrutores, com assuntos voltados às áreas de Auxiliar Administrativo, Recursos Humanos, Técnica em Recepção e Escritório, seguindo uma carga horária de 8h de aulas teóricas, 12h de prática profissional, totalizando 20h semanais, no período de 11 meses. Os últimos três meses são apenas a prática profissional, tendo como 1.280 horas ao término do curso. Todos os jovens trabalham por meio de contratos com carteira assinada.

Segundo o diretor Operacional da Fundação Renascer, Carlos Viana, o estágio é remunerado e os socioeducandos recebem bolsa-auxílio no valor de meio salário mínimo e auxílio-transporte. “A carga horária de trabalho é de 20 horas semanais. Após os jovens iniciarem o estágio, a grade curricular ficou dividida em duas formas: segunda e terça-feira (aula teórica) na sede  da unidade que o adolescente faz parte; e quarta a sexta-feira, estágio”, detalha.

Para o jovem B.V, de 19 anos, que desenvolve a atividade na rede de ensino, a perspectiva é de mudança e bom desempenho na área de trabalho. “Por poder colaborar com ideias no dia a dia no ambiente de trabalho do qual faço parte, me sinto uma pessoa importante. Estou notando que meus objetivos estão sendo alcançados. Estou fazendo a junção de conteúdos teóricos e aplicando na prática. Isso está sendo muito importante pra mim”, disse o adolescente, satisfeito com a oportunidade.

De acordo com o presidente da Fundação Renascer, Wellington Mangueira, a iniciativa é uma conquista fundamental para todos que trabalham em prol da socioeducação. “A Fundação só tem a agradecer por esse empenho dos nossos parceiros. É importante que atividades como essa se desenvolvam para que, ao saírem das unidades, esses adolescentes tenham experiência profissional no mercado de trabalho”, ressaltou.

Para a adolescente C.P, de 18 anos, da Unidade Socioeducativa Feminina (Unifem), a experiência adquirida é fundamental. Ela está estagiando no Gabinete da Fundação Renascer desenvolvendo atividades administrativas. “Estou aprendendo muitos assuntos que nem fazia ideia, a exemplo de fazer ofício, como se comportar no ambiente de trabalho. Levando em consideração esses fatores, eu consigo acreditar em projetos bons para o meu futuro, desenvolvendo um trabalho excelente e me somando de forma positiva para o mercado de trabalho e para o órgão”, concluiu.

Atualizado: