14 de fevereiro de 2020, às 18:29

Adolescentes do Cenam e Unifem participam de roda de conversa sobre “Direitos Humanos e Socioeducação”


Atividade foi realizada na Semana de Sensibilização, que abre o ano letivo escolar das unidades

De segunda (10) a quinta-feira (13), cerca de 40 adolescentes participaram da roda de conversa “Direitos Humanos e Socioeducação”, promovida pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEIAS) no Centro de Atendimento ao Menor (Cenam) e na Unidade Socioeducativa Feminina (Unifem). A iniciativa teve o objetivo de debater conceitos sociais com adolescentes e aconteceu dentro da Semana de Sensibilização das aulas, que abriu o ano letivo escolar, nas unidades administradas pela Fundação Renascer.

Ao longo dos dias, os adolescentes puderam compartilhar suas experiências, tirar dúvidas e aprender sobre Direitos Humanos de forma lúdica, através de dinâmicas e práticas pedagógicas. “Os temas trazidos para este debate, como os direitos dos cidadãos, têm tudo a ver com a condição deles, pois eles foram privados de muitos direitos lá fora. Se eles tivessem tido amplo acesso aos direitos, talvez não estivessem aqui. Temos que trazer essa consciência para os adolescentes. Os professores trazem conhecimentos para a sala de aula, mas a vinda de pessoas de fora do sistema proporciona outras reflexões e ajuda esses jovens a vislumbrar um novo futuro”, disse o supervisor pedagógico do Cenam, Valter Santana.

Para o socioeducando M. S. M., de 19 anos, compartilhar experiências e aprender sobre os seus direitos mudou a percepção da sua realidade na sociedade. “Achei bacana a atividade, encontrei novos conhecimentos sobre vários conceitos, como liberdade, racismo e direitos humanos. Nesta conversa, pudemos compartilhar as nossas experiências e os mediadores também passaram a experiência deles para a gente. Atividades como esta são muito importantes para nós, que estamos aqui dentro. É uma forma de ressocialização. Erramos, mas estamos aprendendo com a vida. Faltam seis meses para eu ter minha liberdade de volta e esses conhecimentos que adquiri aqui hoje vão me ajudar lá fora”, destacou.

A Roda de Conversa foi conduzida por Ana Paula Lomes, estagiária curricular da SEIAS em Serviço Social (UFS), juntamente com Kian Lemos, referência técnica de Juventude da diretoria de Inclusão e Direitos Humanos da SEIAS. Eles destacaram a importância de falar sobre essas questões para os adolescentes. “Falar de direitos humanos para esta população não é apenas a execução de uma atribuição de profissionais da assistência social e direitos humanos, é a construção de um novo projeto societário, em que acreditamos enquanto sociedade civil, mais justo e mais igualitário. Espaços como este, na conjuntura em que vivemos, são fundamentais para o processo de desenvolvimento e protagonismo da juventude brasileira, que cada vez mais vem perdendo perspectivas de vida e vendo seus sonhos ceifados pela minimização dos seus direitos”, disse Ana Paula.

Para a coordenadora técnica do Cenam, Lizandra Vieira, a intenção de trazer esta atividade é fazer com que os adolescentes reflitam e se tornem mais protagonistas de suas vidas. “As questões debatidas permeiam o dia a dia deles mas, por vezes, eles não têm a oportunidade de relacionar esses temas com as circunstâncias em que vivem. Então, momentos como este fazem com que eles possam refletir sobre o impacto dos conceitos sociais para cada realidade. Dentro da unidade, os adolescentes têm assistência de várias formas – escolar, religiosa, socioeducativa – e esses temas transversais complementam a formação desse adolescente para além da educação formal, realizada durante o ano letivo escolar”, afirmou.

Fotos: Pritty Reis e Alanna Molina

Atualizado: